News

Guerra Rússia-Ucrânia: Lista dos principais eventos, dia 770

À medida que a guerra entra no seu 770º dia, estes são os principais desenvolvimentos.

Esta é a situação na quinta-feira, 4 de abril de 2024.

Brigando

  • O governador regional de Kharkiv, Oleh Syniehubov, disse que três trabalhadores de emergência foram mortos num ataque russo à segunda maior cidade da Ucrânia. Os três foram ajudar depois que um drone russo atingiu alguns edifícios residenciais e foram apanhados num segundo ataque russo. Syniehubov disse que um total de quatro ataques atingiram a cidade.
  • O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, disse que a Rússia disparou mais de 3.000 bombas aéreas guiadas, 600 drones e 400 mísseis contra a Ucrânia em março, ao intensificar a sua campanha de ataques aéreos de longo alcance contra a infraestrutura energética do país.
  • A Força Aérea da Ucrânia disse ter abatido todos os quatro drones que a Rússia usou num ataque às regiões centrais de Kirovohrad, Cherkasy, Khmelnytskyi e Zhytomyr. O ataque causou um incêndio em Kirovohrad, mas nenhum outro dano ou ferido foi relatado.

  • Zelenskyy disse acreditar que a Rússia estava “preparando-se para mobilizar 300 mil militares até 1º de junho”, mas não forneceu provas. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que a afirmação era falsa.
  • O Ministério da Defesa da Rússia disse que mais de 100 mil pessoas se alistaram para o serviço militar nas forças armadas russas até agora este ano, 16 mil delas nos 10 dias após o ataque à Prefeitura de Crocus. O ISIL (ISIS) assumiu a responsabilidade pelo ataque de 22 de março.

Política e diplomacia

  • A França negou as alegações russas de que expressou vontade de manter o diálogo sobre a Ucrânia ou discutir possíveis negociações de paz quando os ministros da defesa dos dois países falaram na quarta-feira.
  • O primeiro-ministro japonês, Fumio Kishida, disse que o apoio do seu país à Ucrânia era inabalável durante um telefonema com Zelenskyy.
O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskyy, à direita, dá as boas-vindas ao presidente da Finlândia, Alexander Stubb, em Kiev [Ukrainian Presidential Press Service via AFP]
  • A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, disse que Moscou considerou “hostil” a decisão da Coreia do Sul de impor sanções a indivíduos e entidades russas e responderá. A Coreia do Sul impôs sanções contra dois navios russos que supostamente transportavam carga militar para a Coreia do Norte. Também sancionou aqueles que afirma terem ligações com os programas nuclear e de mísseis de Pyongyang.
  • A Alemanha disse ter detido o Atlantic Navigator II, um navio cargueiro proveniente da Rússia, que fez uma escala não programada no porto alemão de Rostock. A alfândega informou que estava investigando o navio, que transportava 251 contêineres de madeira de bétula, sob suspeita de violar as sanções da União Europeia contra a Rússia.

Armas

  • Visitando Kiev, o presidente da Finlândia, Alexander Stubb, assinou um acordo de segurança de 10 anos com a Ucrânia. Stubb disse que a Finlândia também enviará 188 milhões de euros (203 milhões de dólares) em ajuda militar adicional, incluindo defesas aéreas e munições de alto calibre.
  • Os ministros dos Negócios Estrangeiros da NATO, reunidos para uma cimeira de dois dias em Bruxelas, concordaram em começar a planear o apoio militar à Ucrânia a longo prazo. Uma proposta para estabelecer um fundo de cinco anos no valor de 107 mil milhões de dólares suscitou respostas mistas.
  • O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, disse que os aliados ocidentais do país não estavam fornecendo defesa aérea suficiente para que a Ucrânia se protegesse contra os ataques aéreos russos. Kuleba disse que pressionaria os membros da OTAN por 5-7 sistemas Patriot durante a cimeira de Bruxelas.

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button